Nosso Trabalho

Simone Elias e Antonio Carlos - Terapeutas Holísticos - Formados pela Humaniversidade Holística (Naturopatia) e Anbath - Associação Nipo Brasileira de Acupuntura e Terapias Holísticas (Acupuntura) - Trabalhamos com Acupuntura, Massagens com óleos essenciais, Moxabustão, Aurículo, Radiestesia e Radiônica, Florais (através do Mapa Astral e da Radiestesia), Taro, Astrologia. Pacotes para datas especiais, Vale-Presente, Atendimentos Empresarias, Palestras e Cursos.

Contatos:
simoneterapeuta2013@gmail.com
antoniocarlosterapeuta2013@gmail.com
São Paulo - Nazaré Paulista - Atibaia e Região

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Exercícios para a saúde dos olhos - II


"Trátaka Kriya são exercícios do yoga clássico, uma das seis técnicas de purificação do organismo, destinados à preservação da saúde dos olhos e, conseqüentemente, à prevenção e ao combate das doenças oftalmológicas.

Em sânscrito, Kriya significa “ação purificadora”; e trátaka, “olhar atentamente e fixamente”. O termo Trátaka Kriya, no entanto, pode ser traduzido como “ação purificadora através do olhar fixo e atento”, ou “exercícios de purificação e fortalecimento dos olhos”.

Algumas considerações

Grande parte das doenças oftalmológicas é ocasionada pelo enfraquecimento de certas estruturas e membranas oculares e dos músculos responsáveis pelos movimentos dos olhos, pelo processo de acomodação da visão (foco e nitidez da imagem) e também pela sustentação.

• O olho é o órgão do sentido da visão ligado ao cérebro pelo nervo óptico, encontra-se intimamente relacionado com o cérebro, de tal forma que a retina (membrana delgada e transparente localizada no fundo do olho, formada por células nervosas relacionadas com as fibras do nervo óptico e sensível à luz) nada mais é do que a expansão diferenciada do tecido cerebral.

• Cada olho é movido e controlado por seis músculos, que se encontram inseridos ao redor do globo ocular.

• A acomodação da visão é um processo pelo qual as pupilas (abertura normalmente redonda e central da íris) podem modificar seu formato ou diâmetro, através do movimento de duas pequenas estruturas musculares (dilatador e constritor), para enxergar objetos próximos ou distantes, de dia ou de noite, permitindo que os olhos obtenham um bom foco da imagem.

• Os raios luminosos, que penetram no interior dos olhos através da pupila, são focados na córnea (parte anterior do globo ocular, transparente, cuja forma arredondada e um pouco saliente atua como lente convergente) e no cristalino (pequena lente transparente, biconvexa, situada atrás da íris e diante do corpo vítreo, gelatina semilíquida e transparente) e formam imagem na retina.

• A retina contém milhões de células sensíveis à luz, chamadas de cones e bastonetes, as quais convertem a imagem em forma de impulsos nervosos.

• Os olhos controlam a quantidade de luz que deve chegar até a retina, fazendo com que as partículas luminosas formem a imagem no foco preciso, para que o cérebro possa compreender perfeitamente o que está sendo enxergado. Esses impulsos são transmitidos rapidamente pelo nervo óptico ao cérebro. As informações que percorrem através dos dois nervos ópticos são processadas no cérebro, dando origem a uma única imagem combinada.

Importância da dieta saudável e da suplementação nutricional

Estudos clínicos realizados em seres humanos demonstraram que o extrato de amora azul (contendo 25% de antocianidina), o extrato de Ginkgo biloba (24% de heterosídeos de ginkgo) e o sulfato de zinco são capazes de deter a perda visual progressiva.

• A naturopatia (remédios botânicos e suplementação nutricional específicos), a acupuntura tradicional chinesa (sistêmica, ocular e auricular) e a prática regular do yoga muito podem beneficiar os olhos, prevenir e combater doenças oftalmológicas. É preciso, no entanto, combater-se a automedicação e somente fazer-se uso de remédios e medicamentos sob a orientação e a prescrição de um profissional da área de saúde no consultório.

• Devem ser evitados alimentos rançosos, frituras, gorduras e outras fontes de radicais livres. Deve-se aumentar o consumo de: legumes ricos em aminoácidos que contêm enxofre; frutas e vegetais amarelos (ricos em carotenos); amoras, ricas em flavonóides (amora azul e preta, cerejas, acerola, etc.); alimentos ricos em vitamina E, licopeno e Vitamina C (frutas e vegetais frescos).

• É bem conhecida a importância da vitamina A para a saúde dos olhos. Sua deficiência pode ocasionar xerose (secura da conjuntiva, mucosa transparente e lisa que forra a face interna das pálpebras e a face anterior do globo ocular até a córnea) e xeroftalmia (secura da córnea), que pode levar à perda parcial ou total da visão, e cegueira noturna. Os primeiros sintomas da deficiência de vitamina A são: olhos vermelhos, secos, sem brilho, irritados e sensação de que algo incomoda, ou arranha os olhos; visão cansada e dificuldade de enxergar à noite.

• O zinco é importante na preservação da visão. Rutina, hesperidina, e resveratrol extract também devem ser empregados.

• As vitaminas B1, B2, B6 e B12 são também necessárias para a saúde dos olhos. A deficiência da vitamina B pode resultar na degeneração do nervo óptico (neurite, lesão inflamatória desse nervo), e os primeiros sintomas de sua deficiência incluem: dor, lacrimação e ardência (sensação de queimação).

• A vitamina C também é essencial aos olhos, fortalece os vasos sangüíneos que irrigam os olhos e protege as estruturas oculares contra a ação dos radicais livres e da radiação solar. Sua deficiência ocasiona: vista cansada, sensação de peso nos olhos e eventualmente, sangramento da conjuntiva. A melhor forma de se obter vitamina C é tomar diariamente em jejum, pele manhã, o suco de um limão, fresco de tamanho médio, diluído em um copo de água, sem açúcar ou adoçante.

• A catarata tem sido relacionada à deficiência de vitamina D. Essa vitamina também é necessária para a saúde dos olhos.

• Os antioxidantes nutricionais como betacaroteno, selênio orgânico, vitamina E, licopeno, leucoantocianidina (flavonóides, pigmentos vegetais, que conferem às plantas, frutas e flores as cores que variam de vermelho a azul e exercem uma ampla variedade de efeitos fisiológicos no organismo), etc. são também extremamente importantes na prevenção e no combate (avanço) da degeneração macular senil e juvenil.

Trátaka Kriyas – Exercícios de revitalização dos olhos

A saúde dos olhos depende muito da saúde do organismo num todo. A causa dos problemas da visão, como catarata, glaucoma, retinopatias, etc. encontra-se no mau funcionamento do organismo. A saúde integral depende de hábitos dietéticos e da prática regular de exercícios físicos saudáveis. A prática regular do yoga Clássico das Escolas de Patãnjali (Ashtanga Yoga) e Gorakshanatha (Hatha Yoga) muito pode beneficiar a saúde e prevenir doenças.

1. Antes de se iniciarem os exercícios de revitalização dos olhos, é preciso certificar-se de que o ambiente esteja, naturalmente, bem iluminado (apenas durante o dia). Sentar-se com as pernas cruzadas (sobre uma esteira ou um cobertor dobrado) e a coluna vertebral alinhada (evitando-se ficar corcunda), preservando-se a curvatura natural da coluna lombar; ou, então, sentar-se em uma cadeira, seguindo os mesmos cuidados. Respirar de forma lenta e profunda, prolongando a entrada e a saída do ar dos pulmões e relaxar todo o corpo, removendo-se as tensões psíquicas e musculares. A respiração lenta, profunda e rítmica acalma a mente, combate as tensões, relaxa a musculatura, favorece a concentração, revitaliza a mente e o corpo e melhora a disposição. A visão não depende apenas de olhos sadios. É sabido que o cérebro comanda os músculos dos olhos e os nervos ópticos através do sistema nervoso, e, por isso, qualquer perturbação do estado emocional e psíquico pode também prejudicar diretamente a visão. Com a mente mais calma e centrada e o corpo mais relaxado, passa-se para o próximo item.

2. Com os membros superiores relaxados, esfregar uma palma da mão na outra, aquecendo as mãos. Segundo as leis da física, o atrito gera uma energia calorífica e magnética. Quando as mãos estiverem aquecidas e repletas de energia, cobrir, então, rapidamente, os olhos fechados com as palmas das mãos (dedos unidos), transferindo a energia calorífica para os olhos. Relaxar as pálpebras e os globos oculares e respirar de forma lenta e profunda. Repetir o procedimento três vezes.

3. Estando num ambiente aberto, ao amanhecer, em contato com a natureza, permanecer de frente para o sol. Com os olhos fechados, inspirar e lentamente, flexionando a cabeça para trás, relaxando a musculatura do peito, das costas, dos ombros, do pescoço e da cabeça. Ao expirar, flexionar lentamente a cabeça para frente até o queixo tocar o peito. Repetir o procedimento três vezes. Depois, repousar a palma da mão esquerda sobre a cabeça, inspirar de forma lenta e profunda; ao expirar, tombar lateralmente a cabeça, aproximando a orelha esquerda do ombro, alongando a musculatura lateral direita do pescoço; permanecer nessa posição durante vinte segundos. Então, retornar e repetir o procedimento para o outro lado. Ao terminar o exercício, piscar rapidamente os olhos, olhando para o nascer do sol, durante um minuto. Logo após, fechar os olhos, respirar lenta e profundamente e relaxar todo o corpo, inclusive a musculatura facial.

4. Estender bem, a sua frente, o membro superior esquerdo com o dedo polegar voltado para cima e mantê-lo, a princípio, alinhado com o nariz. Olhar fixamente para a placa ungueal (unha) e observar atentamente o seu formato, a sua cor, a meia lua na base da unha, as linhas longitudinais e qualquer outro sinal que ela possa apresentar. Abrindo bem os olhos, procurar obter uma boa imagem e nitidez. Então, lentamente, mover o braço para o lado esquerdo e acompanhar o polegar com os olhos sem mover a cabeça (que deve, sempre, permanecer voltada para frente). O exercício é apenas para os olhos (durante todo exercício, apenas os olhos devem movimentar-se).

À medida em que se afastar lateralmente e devagar o polegar do eixo central do nariz (ponto de partida do exercício), abrir bem os olhos, procurar ajustar a visão, para que se possa ter, o tempo todo, uma imagem nítida da unha. A prioridade do exercício é a nitidez da imagem, pois o que se objetiva é exercitar estruturas oculares responsáveis pela nitidez da visão. Se, durante o exercício, a imagem perder a nitidez, parar, por alguns instantes, de movimentar o braço e tentar ajustar a visão, recobrando-se a nitidez. Ao se recuperar a nitidez da imagem, afastar lentamente o polegar. À medida que o polegar se aproximar do limite do campo visual, a imagem perderá a nitidez, a visão poderá tornar-se cansada, dupla ou trêmula; então, retroceder um pouco o polegar até a recuperação da nitidez da imagem; parar de movimentar o braço e ajustar a visão e, depois, retornar ao ponto de partida, sempre olhando atentamente para a unha. Descansar o braço esquerdo, repousando o antebraço sobre o joelho. Fechar os olhos, piscar algumas vezes (para hidratar e relaxar os olhos) e relaxar todo o corpo, respirando de forma lenta e profunda. Logo após, repetir o procedimento com o braço direito. No final do exercício com o braço direito, descansá-lo, repousando o antebraço sobre o joelho, fechar os olhos, piscar algumas vezes e relaxar todo o corpo, respirando de forma lenta e profunda.

5. Estender bem, à frente, o membro superior esquerdo com o dedo polegar voltado para cima e mantê-lo, a princípio, alinhado com o nariz. Lentamente, movê-lo para cima e acompanhar apenas com os olhos, sem movimentar a cabeça. Seguir as orientações anteriores. Chegando o polegar no limite do campo visual, retornar ao ponto central de partida. Descansar o braço esquerdo, repousando o antebraço sobre o joelho. Fechar os olhos, piscar algumas vezes (para hidratar e relaxar os olhos) e relaxar todo o corpo, respirando de forma lenta e profunda. Logo após, repetir o procedimento com o braço direito. No final do exercício com o braço direito, descansá-lo, repousando o antebraço sobre o joelho, fechar os olhos, piscar algumas vezes e relaxar todo o corpo, respirando de forma lenta e profunda.

6. Agora, com o braço esquerdo estendido à frente, mover o polegar transversalmente para cima, o máximo que puder. Após realizar o exercício com o braço esquerdo, descansar o braço, piscar algumas vezes, respirar de forma lenta e profunda e relaxar todo o corpo. Logo após, repetir o procedimento com o braço direito. Com o término desse exercício, descansar o braço, piscar algumas vezes os olhos, respirar profundo e relaxar.

7. Realizar, lentamente, cinco vezes, um movimento circular amplo com os olhos, da esquerda para direita, observando atentamente tudo o que estiver ao redor. Com o término do exercício, fechar os olhos, piscar algumas vezes, respirar profundo e relaxar. Repetir o procedimento, agora realizando um movimento circular da direita para esquerda. Com o término do exercício, fechar os olhos, piscar algumas vezes, respirar profundo e relaxar.

8. Manter o dedo polegar voltado para cima e a um palmo de distância da ponta do nariz. Olhar fixa e atentamente para a unha e procurar obter uma imagem nítida. Lentamente, afastar o polegar, estendendo o máximo o membro superior. Durante o afastamento e a aproximação do dedo polegar, procurar preservar a nitidez da imagem. Depois, retornar lentamente o dedo polegar a uma distância de um palmo do nariz. Feito isso, descansar o braço, piscar algumas vezes, respirar profundo e relaxar. Repetir o procedimento com o braço direito.

9. Fechar os olhos e tensionar a musculatura da face ao redor dos olhos (como se estivesse fazendo careta) durante 12 segundos e, depois, relaxar , respirando de forma lenta e profunda (mantendo os olhos fechados durante alguns instantes).

10. Repetir o item número dois.

11. E, para finalizar a seqüência, banhar com água fria, por algumas vezes, os olhos fechados e, depois, enxugar o rosto com uma toalha limpa.

Evite os maus hábitos

• Quando se está fazendo alguma leitura, deve-se segurar o livro, no mínimo, a um palmo de distância do nariz.

• Ler sempre com luz adequada, piscar várias vezes para lubrificar os olhos e olhar para cima alguns segundos, toda vez que chegar ao final de cada página.

• Não fazer nada que prejudique os olhos, como ver televisão durante muito tempo com as luzes apagadas.

• Não ler com o objetivo de estimular o sono. Esse não é um hábito saudável. A leitura à noite, algumas horas antes de dormir, pode estimular o intelecto e prejudicar o sono.

• Ler em ônibus ou no carro é prejudicial ao processo de acomodação dos olhos; evitar esse hábito.

• Não olhar diretamente para o sol. Os olhos são muito sensíveis à radiação solar, o que pode prejudicá-los seriamente. A luz solar somente é benéfica ao nascer e ao pôr-do-sol, quando, então, pode-se fechar os olhos e voltar a face para ele, permitindo que seus raios aqueçam as pálpebras e revitalizem os olhos. Para a ciência yogue, o sol é a fonte de energia vital ou prana, no entanto deve-se evitar a exposição prolongada à luz solar no período das 10 horas da manhã até as 16 horas. Nesse período do dia, é recomendável o uso de óculos de sol com proteção contra raios UVA e UVB.

• A fumaça do cigarro também é prejudicial aos olhos, sua incidência causa irritação, secura, vermelhidão e predispõe à catarata, dentre outros males.

• Evitar olhar para o nada. Sem uma ordem definida no cérebro, os olhos adotam uma posição em que todas as imagens ficam desfocadas, prejudicando os músculos de acomodação.

• Certificar-se de que a tela de seu computador retém a radiação que ela própria produz, ou seja, se há um filtro de proteção que impeça a radiação. Caso contrário, deve-se buscar resolver tal problema, ou, em última instância, amenizá-lo."

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Exercícios para a saúde dos olhos - I



"09 de outubro comemora-se o Dia Mundial da Visão. O slogan criado pela OMS para esta quinta-feira é "Olhos no futuro - lutando contra a deficiência visual do idoso".

Portanto, seguem aqui exercícios de yoga para a manutenção da saúde dos olhos.

"Quando o homem convive com a natureza e vive no seu habitat natural, a visão fica perfeita até o fim da vida". Essa frase de André Van Lysebeth, pioneiro em yoga no ocidente, com certeza vai deixar o leitor perplexo.

Para o cidadão de nossas cidades modernas, vivendo, trabalhando em lugares fechados onde o horizonte não tem mais do que cinco metros de distância, os músculos da convergência são sempre ativados e cansam. Isso gera tensões.

A luz, com intensidade sempre igual, o olhar pregado à tela do computador ou da televisão, a monocromia (letras pretas/papel branco), aliados a um trabalho irritante que gera tensões em todos os lugares do corpo, até no aparelho visual, são as causas principais que levam a distúrbios e a uma visão alterada.

Se você tem uma visão boa, os exercícios aqui são para manter seus olhos sadios. Se você tem miopia ou presbiopia (vista cansada), sua visão vai melhorar logo.

1º) De manhã, massagear de leve os globos oculares com os dedos indicadores médios, suavemente em contato com as pálpebras. Fazer movimentos circulares. Não pressione.

2º) Com os olhos fechados, apertar (fechar) firmemente as pálpebras e abri-las, piscar umas 20 vezes. Recomeçar cinco vezes. Quando você apertar as pálpebras você poderá até ouvir os músculos vibrarem.

3º) Colocar o indicador a uns 10 centímetros do nariz, e girar a cabeça da direita para esquerda alternativamente, apontando o nariz em direção ao ombro, SEM PARAR DE OLHAR O DEDO.
Assim você terá a impressão que o dedo se desloca da direita para a esquerda. Esse exercício dá uma grande mobilidade ao aparelho visual e relaxa toda musculatura ocular. É excelente também para a mobilidade das vértebras cervicais e para relaxar toda a musculatura do pescoço. Fazer 10 rotações com os olhos abertos e dez rotações com os olhos fechados. Sempre respirando calmamente.


4º) Coloque-se de frente para sol, tampe um olho com a palma da mão e faça esse mesmo movimento de rotação (usando o sol á sua frente no lugar do dedo), sem NUNCA fixar o sol (exceto ao levantar ou ao deitar quando o disco do sol esta ainda visível). A luz do sol vai se espalhar no fundo do olho e estimular a retina todinha.


Repetir com o outro olho e continuar durante dois minutos respirando calmamente.

5º) Depois deste exercício, tampe os dois olhos com as palmas da mão (conforme imagem abaixo) e deixá-los na escuridão total durante um ou dois minutos. O "palming" é sempre bom para o olho e nunca pode ser demais. É aconselhável fazer uns dez minutos de "palming" por dia.


Se não tiver sol, você pode fazer o mesmo exercício na frente de uma lâmpada com incandescência bem forte (150 watts). Fazer o "palming" indicado. A lâmpada será colocada a uns 50 centímetros do rosto. Não tem uma intensidade para as mãos no palming. As mãos ficam com duas cúpulas, sem pressionar os olhos, e so fazer uma 'câmara preta' para deixar o olho no escuro. É a duração que faz a eficiência, porque esse momento é de grande relaxamento dos olhos = relaxamento muscular e mental. Os pensamentos diminuem quando os olhos estão no escuro e conseguimos ao mesmo tempo imaginar o preto.
  
6º) A luz é amiga do olho. Evite sempre que puder os óculos de sol, exceto com prescrição do seu médico, em caso de doenças oculares ou em lugares onde a reflexão da luz seja alta como na neve, na água, em alto mar, etc."

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Exercícios para ouvir melhor


"O yoga se interessa por todos os sentidos e considera que além dos cinco sentidos temos um sexto, que é a mente. É a mente que olha e ouve.

Para que a mente possa interpretar os sons, é necessário transmitir as sensações para o cérebro e para conseguir isso, precisa haver três condições:

- que os órgãos dos sentidos estejam em boas condições;
- que a mente possa captar;
- que exista um espectador, alguém ou um princípio, para quem os sentidos vão transmitir as informações.

A pergunta que o yoga faz é: para quem essas informações são transmitidas?

No primeiro momento podemos pensar que é para a nossa mente adormecida, mas quem vai se beneficiar de todas as informações que vem do mundo externo: o espectador final.

O espectador final é esse princípio que jaz além de todas as nossas atividades, conscientes ou inconscientes. Quando estamos trabalhando o ouvido, estamos nos aproximando da última pergunta que o yoga ajuda a responder: quem sou eu, para quem ou para que, ouvir esses sons.

Devemos lembrar que a natureza inventou nossos sentidos para colocar um tampão sobre um mundo cuja realidade seria insuportável. Agüentaríamos ouvir todos os sons de nosso meio ambiente, agüentaríamos todas as conversas, não só das pessoas, mas também de todos os celulares, todas os rádios e TVs do planeta?

Não.

A base dos sentidos é o tato. Todos os sentidos são modalidades do tato. Quando ouço um som, o recebo na superfície inteira do meu corpo.
Preciso acolher sons na superfície do meu corpo, até a superfície dos tímpanos.

Mas temos obrigação de manter nosso aparelho auditivo em boas condições de funcionamento.

Para permitir que as vibrações cheguem até o tímpano, precisamos:

- que o cerúmen (cera) não bloqueie os canais do ouvido,
- permeabilizar as trompas de Eustáquio com exercícios específicos, pois podemos tê-las bloqueadas parcialmente, sem saber.

Aqui estão alguns exercícios

1 - Treine o seu ouvido para perceber sons cada vez mais agudos, expanda o seu campo de consciência, fazendo uma exploração máxima dos sons do ambiente externo;

2 - Procure afastar o tic-tac do despertador, que ficará gradativamente mais longe de você;

3 - Abaixe aos poucos o som do rádio;

4 - Procure os sons mais e mais delicados, até ouvir o som da sua própria respiração.

É só ouvir isso e chegará a ponto de se isolar dos sons externos.

Como as vibrações se transformam em sons na mente?

O mundo é percebido através do nosso equipamento pessoal. Cada um fabrica seu universo pessoal, pensando que esse é a copia do mundo externo.

Mas é importante trabalhar nossas percepções, pois nossa filosofia e maneira de viver dependem disso.

Se eu deixar os sons impregnarem cada pedaço de pele e osso, até os tímpanos, isso indica que estou totalmente incluso no universo que me rodeia, sem fronteiras e isso mostra que os limites do corpo não são esses da pele. O universo vibratório entra em ressonância com cada parte do corpo.

Como ter um aparelho auditivo que transmite essas vibrações?

O yoga propõe exercícios de depressão e exercício de aspiração.

Exercício de "depressão": flexibiliza a membrana timpânica

- colocar as palmas das mãos como se fossem ventosas e pressionar repetitivamente com uma velocidade que seja confortável. Repetir várias vezes, sem brutalidade, com carinho.

Exercício de "aspiração"

- sentar em uma posição confortável, com a coluna vertebral ereta, fechar os olhos e colocar os dedos em contato com o rosto dessa maneira:
- os polegares vão fechar os ouvidos;
- os indicadores bloqueiam os cílios para manter as pálpebras fechadas;
- os dedos maiores, estão em contato com as narinas, fechando-as parcialmente;
- os anelares e auriculares estão sobre os lábios superiores e inferiores;
- Inspire, sem modificar a posição dos dedos, colocar a boca em forma de bico e inspirar pela boca até que uma quantia de ar confortável preencha os pulmões;
- reter o ar, sem cansaço, inflando as bochechas;
- desbloquear as narinas;
- expirar lentamente pelo nariz;
- repetir cinco vezes.

Terminado o exercício, deixar os sons virem em sua direção, lembrando que o mais importante á a concentração.

Lembrando sempre que estamos criando na nossa mente uma visão da realidade. Ouvir é muito mais que colocar os órgãos do sentido em ação. É conectar-se com o mundo, interagir com a vida.

Ouvir é facilitar a conexão com os outros, a interação com os outros e com nosso meio ambiente, ter mais informações para nos instrumentar na vida.

Temos obrigação de usar de forma correta o equipamento que a natureza nos proporcionou e deixar todas as formas de vibrações vir até nós, as sonoras principalmente.

Funcionamento do sistema auditivo

Começando pelos órgãos dos sentidos, veja como funciona o sistema auditivo:


O sistema auditivo é um autêntico mecanismo de precisão. Ele capta os sons do meio ambiente e o contato desse som com o tímpano manda sinais para o cérebro, e a mente interpreta esses sinais.

O ouvido é dividido em três partes: externa, média e interna. Cada parte possui seus órgãos específicos, compondo um complexo sistema de amplificação do som.

A onda sonora produzida pelo som é captada pelo pavilhão auricular (orelha), passa pelo meato acústico externo (canal auditivo) chega a membrana timpânica que vibra e faz vibrar os pequenos ossos do martelo, da bigorna e dos estribos. As vibrações chegam até a parte interna do ouvido.
Dentro do ouvido existe um líquido que as propagam. Este líquido transmite seus movimentos em forma de ondas ás células ciliadas, que transformam as vibrações em impulsos nervosos.

O nervo auditivo capta esse impulso nervoso e o dirige ao cérebro. A mensagem é decodificada e interpretada pela mente.

A tuba auditiva ou trompa de Eustáquio é um canal que liga o ouvido médio á faringe e que ajuda a manter o equilíbrio de pressão entre os dois lados da membrana timpânica.

A tuba abre e fecha à medida que engolimos ou bocejamos, permitindo uma equalização entre a pressão do ouvido externo e do ouvido médio. Em um avião ou em situações de mudanças de altitude, uma sensação de pressão pode ser causada no ouvido por esse processo de equalização."

domingo, 27 de novembro de 2011

A Fitoterapia e a Artrose


"As plantas medicinais listadas abaixo demonstraram eficácia para tratar ou apaziguar a artrose, como é o caso da garra-do-diabo (a eficácia desta planta foi comprovada por estudos clinicos):

- a Garra do diabo, em geral a ser tomada em forma de comprimidos. [eficaz!]

- a Rosa-Canina, a ser tomada em forma de pó ou cápsulas.

- a Arnica, em geral a ser utilizada topicamente (gel, creme, pomada, ...)

- o Confrei, a ser utilizado em forma de gel.

- o Salgueiro-branco, em geral, a ser tomado em forma de comprimido, cápsula,...

- a pimenta Cayenne, em geral a ser utilizada em forma de creme ou compressas.

- o Freixo, em geral a ser tomada em forma de cápsula.

Bons conselhos para quem tem artrose:

- Pratique exercícios (caminhada, esporte), mas não levante muito peso e evite esportes que exijam demais das articulações, como o futebol ou o squash (sobretudo na região do joelho). Se você ainda tiver energia e se a dor for suportável, saiba que o exercício físico é um dos melhores remédios para tratar a artrose. O objetivo é fortalecer a musculatura, pois uma musculatura forte protege bem as articulações.

- Reduza o seu peso (calcule o seu IMC), pois este pode enfraquecer as articulações e agravar a artrose.

- Tome banhos quentes a uma temperatura de 37-40°C. Banhos à base de enxofre permitem apaziguar as dores reumatismais, principalmente a artrose.

- Utilize, com o aval de seu médico, medicamentos à base de plantas (garra do diabo, confrei,...) para complementar o seu tratamento de base.

- Utilize sapatos confortáveis e bem adaptados aos seus pés.

- Em caso de crises ou surtos de artrose, evite andar muito ou fazer muito exercício. Se você precisar andar muito, é preferível que você utilize uma bengala.

- Faça Tai Chi duas vezes por semana, pois isso pode ajudar a reduzir as dores da artrose."

sábado, 26 de novembro de 2011

Stress e Terapia Floral, uma parceria de sucesso


A cada dia um maior número de pessoas conscientiza-se que conquistas sociais, financeiras e profissionais, embora muito positivas e bem vindas, não suprem totalmente os anseios da alma humana. É nesse momento que a busca por uma melhor qualidade de vida tem ocupado cada vez mais espaço no dia-a-dia das pessoas, pois começa-se a compreender a importância da felicidade na manutenção da saúde, produtividade e potencial criativo.

Considerado pela OMS como um dos grandes males desse final de século, o stress é um dos grandes responsáveis pela infelicidade, baixa produtividade e saúde precária, presentes na vida da maioria das pessoas.
Provocado pelas diversas reações orgânicas que são desencadeadas ao mesmo tempo ao nos sentirmos ameaçados real ou imaginariamente, o stress é necessário ao organismo, pois auxilia o desempenho das funções orgânicas e psíquicas (crescimento, criatividade, etc.).

Para poder enfrentar esses estados de tensão, o corpo faz com que as glândulas suprarenais produzam mais adrenalina, o fígado converta as reservas de gordura em açúcares (para produzir mais energia) e a irrigação sangüínea seja reduzida em alguns locais, para que coração, cérebro e músculos sejam melhor irrigados. Entretanto, se essas alterações acontecem repetidas vezes, com pequenos intervalos de tempo, ocorre o que podemos definir como stress negativo, responsável por sérios transtornos físicos e emocionais e sobre o qual trataremos nesse artigo.

Para facilitar a compreensão e solução desses conflitos emocionais e desequilíbrios físicos advindos dos estados de stress, a Terapia Floral tem papel fundamental, instrumentalizando o indivíduo para melhor se auto-conhecer e consequentemente sentir-se mais apto a modificar e curar sua vida em busca de qualidade e felicidade. Sintomas freqüentemente encontrados em indivíduos estressados, podem ser eliminados ou minimizados através do tratamento com Terapia Floral. Pode-se trabalhar a ansiedade utilizando, entre outras, as essências florais de Agrimony ou Filaree, conforme a característica da pessoa.

Desânimo e desmotivação podem ser tratados com Kapok Bush e California Wild Rose. Nasturtium e Hornbeam são indicados para os casos de cansaço mental. Cansaço físico, tensão muscular, dores nas costas e espasmos musculares reincidentes, podem ser auxiliados com o uso das essências florais de Olive, Lilac e Dandelion. Chaparral, White Chestnut e Impatiens são essências importantes no tratamento dos distúrbios do sono (insônia, sono excessivo ou sono agitado).

Para os casos de depressão, sentimento de solidão, desamparo e fragilidade, podemos utilizar Gentian, Gorse e Mariposa Lily. Falta de vitalidade, diminuição do desejo sexual e manifestação de disfunções sexuais são muito auxiliadas por Aloe Vera, Indian Paintbrush e Hibiscus. Impatiens e Grapefruit são indicados para irritabilidade e cefaléias freqüentes. Larch e Buttercup auxiliam nos casos de baixa auto-estima e auto-imagem negativa.

Dificuldades de concentração e em concatenar idéias contam com o auxílio das essências florais Shasta Daisy, Madia, Corn e Bush Fuchsia. Manzanita e Five Corners auxiliam nos casos de distúrbios alimentares. Echinacea é indicada quando ocorre diminuição na resistência imunológica do organismo. Oscilações da pressão arterial podem ser tratadas com Waratah, Sclerantus e Borage. Morning Glory auxilia quando há aumento no consumo de álcool, cigarros e drogas.

Fatores estressantes
Entre os agentes estressantes existem aqueles que podem afetar a saúde do nosso organismo independente da nossa vontade. São eles: variações extremas de temperatura, radiação, poluição ambiental e sonora, mudanças constantes no horário de trabalho, infecções, efeitos colaterais de medicamentos e deficiências nutricionais.
Estar atento ao próprio corpo e sentimentos leva a uma rápida solução de problemas evitando maiores transtornos. O stress geralmente é causado por uma somatória de fatores difíceis de serem administrados, podendo ser eles de caráter social, familiar, afetivo, pessoal e organizacional.

Fatores sociais, familiares e afetivos são aspectos aos quais somos submetidos e encontram-se relacionados à ordem política, econômica, financeira, de relacionamento e familiar, tais como guerras ou conflitos sociais, trânsito caótico, deficiência dos meios de transporte, falta de segurança nas cidades, custo de vida, desemprego, doenças prolongadas na família, problemas de relacionamento, problemas familiares, separações afetivas, dificuldades financeiras, etc...

Entre os fatores organizacionais estressantes, encontram-se a administração inadequada, chefias mal preparadas, indefinição quanto ao futuro da empresa, metas impossíveis, objetivos não claros por parte da empresa, comunicação deficiente, condições ambientais de trabalho inadequadas, órgão de recursos humanos ausente ou controlador, falta de treinamento adequado, deficiência de material de trabalho, etc.. Larkspur, Quaking Grass, Boronia, Indian Pink, Crowea e Nasturtium são alguns exemplos de essências florais, que auxiliam àqueles que tem esse tipo de vivência em seus ambientes de trabalho.

As organizações modernas, que compreendem a importância do seu papel social, mantém-se constantemente ocupadas com projetos que procuram melhorar as condições de vida de seus colaboradores, tornando as pessoas mais felizes e produtivas. Muitas dessas empresas já fazem uso da Terapia Floral com bastante sucesso.
Dificuldades emocionais que impedem a ação em determinadas situações são consideradas fatores pessoais e uma das principais causas de stress.

Seguem-se alguns exemplos:

Autoritarismo: pessoas autoritárias costumam ser muito rígidas, física e mentalmente, apresentando tensão muscular sentida principalmente no tórax, ombros e pescoço. A necessidade de controlar a tudo e a todos, indica uma grande insegurança e freqüentemente estabelece relações onde o poder é exercido através do medo. Costumam impor suas verdades e seus valores, o que evidencia o medo de mudar em função do aprendizado com os outros. Para facilitar a profunda compreensão desses processos, são indicadas as essências florais de Vine, Cherry Plum, Bauhnia, Mimulus, Rock Water, Dandelion e Buttercup.

Culpa: conscientizar-se dos próprios erros, exige maturidade e coragem para modificar-se, para aprender, não para nos escravizarmos a eles. O sentimento de culpa nada tem de construtivo, servindo apenas para manter as pessoas dóceis, acomodadas e controláveis. Resolver as culpas é voltar a caminhar trazendo na bagagem a experiência aprendida. É importante ser capaz de perdoar-se, para melhor compreender a importância desta atitude para com os outros. As essências florais que facilitam esse aprendizado são Pine, Borage e Sturt Desert Rose.

Medo de errar: buscar a perfeição gera indivíduos com extremo medo de errar, que não perdoam e não aceitam as próprias falhas, tampouco a dos outros. Tal atitude acaba levando corpo e mente a estados de extrema tensão. Rock Water, Beech e Larch são essências florais que irão favorecer o entendimento da importância da moderação e autoconfiança.

Medo de falar o que pensa: a expressão das próprias idéias, valores e crenças é vital para esclarecer dúvidas, elaborar conceitos e colaborar para a evolução do mundo. As essências florais de Trumpet Vine, Snapdragon e Pink Monkeyflower facilitam essa atitude.

Medo de perder: a perda de pessoas próximas ou as pequenas mortes vivenciadas nas perdas diárias, muitas ve-zes evocam sentimentos mal resolvidos que levam a desequilíbrios físicos e emocionais. As perdas encontram-se relacionadas a mudanças. Mudar algo em nossas vidas significa deixar as coisas velhas para poder abraçar novas. Para facilitar esses momentos, utilizam-se as essências florais de Bottlebrush, Star Thistle e Walnut.

Medo de ser diferente: a autenticidade, clareza de pensamentos e idéias próprias é a base para a estruturação do nosso ego. Limitar-se na forma de expressão é viver uma das condições mais críticas para o ser humano. Acreditar na possibilidade de algo diferente e respeitar as idéias que se apresentam, por mais estranhas que possam nos parecer a princípio, é fundamental para a evolução da humanidade. Para colaborar nesse processo podemos utilizar as essências florais de Iris, Illawara Flame Tree, Turkey Bush, Centaury e Sunflower.

Raiva contida: a raiva é uma poderosa energia que quando não utilizada ou expressa, pode minar a mente e o corpo abrindo espaço para diversas doenças. É importante tomar consciência da sua presença, encontrando uma maneira de expressa-la. As essências florais de Holly, Montain Devil e Chamomile irão ajudá-lo nesse processo.

Encontrando seu Caminho

Para manter uma situação de bem estar físico e mental é necessário cuidar-se, trabalhando consigo mesmo de forma agradável e respeitando suas particularidades. Além da Terapia Floral, o tratamento e a prevenção do stress podem ser eficazmente trabalhados através das medicinas ortobiomolecular, homeopática e antroposófica, psicoterapia, acupuntura, fitoterapia, iridologia, nutrição, yoga, dança, canto, esportes em geral, massagens, etc. Escolha o caminho que mais lhe agradar, pois todos buscam a harmonia do corpo e da alma, sendo complementares uns aos outros.
Lembre-se que todas as indicações aqui sugeridas dependem de cada caso, da personalidade de cada pessoa e do profundo conhecimento das essências florais. Nada melhor e mais aconselhável que a orientação de um terapeuta capacitado para auxiliá-lo nesse processo.

O stress pode parecer o "vilão" da sua vida, mas na verdade você é o maior responsável pela situação em que se encontra. Cuide-se. Respeite-se como SER HUMANO. Suas atitudes para consigo mesmo, refletirão na forma como os outros irão tratá-lo, portanto trate-se bem, buscando sempre uma melhor qualidade de vida para você e seus familiares. Sucesso!
Fonte: Site Somos Todos Um

É possível tratar e prevenir Alzheimer através da MTC?


""Atividade física, fitoterapia e acupuntura são as ações que a MTC recomenda para prevenir e retardar Alzheimer"

De acordo com a MTC, a doença de Alzheimer é uma doença degenerativa devido à perda de jing (energia do rim). Essa perda pode ser provocada pelo envelhecimento precoce ou por fatores ancestrais (genética) ou por uso de drogas e álcool.

Com a perda crônica de jing, a energia da medula celular não é nutrida e inicia-se um processo de desnutrição e degeneração com aumento da energia Yang do fígado (liberação de hormônio do estresse). Isso irá levar à degeneração e morte gradativa dos neurônios e destruição das sinapses: conexão entre células nervosas. Desse modo vai desaparecendo a fenda cerebral (onde se sedimenta a memória de longo prazo). Por isso a doença vem acompanhada da diminuição de massa cerebral.

A prevenção é fazer exercício físico. Estudos mostram a diminuição e inclusive a melhora da doença com práticas físicas, como citado pelo pesquisador Eric Larson da Universidade de Washington em Seattle. Outro método de prevenção é o uso de fitoterápicos como omega3, ginkobiloba e o selênio. A ação da acupuntura também pode ter um efeito preventivo assim como retardar a ação da doença."

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Técnicas para combater dor nos ombros


"Como o próprio nome sugere, a periartrite do ombro consiste numa inflamação que afeta os tecidos ao redor dessa articulação (bolsas serosas, tendões e ligamentos). Na maioria das vezes, provoca dores intensas, que não melhoram com o repouso, e limita os movimentos do braço.

Na fase inicial, um ou ambos os ombros podem ser afetados por dor difusa que, às vezes, irradia-se para o braço até o cotovelo e/ou pescoço. A dor pode diminuir durante o dia e agravar-se à noite. A manifestação da dor dificulta os movimentos de abdução (afastamento do membro superior do eixo mediano do corpo) e de alongamento do membro superior, o que acarreta dificuldades tais como: a execução de diversas tarefas, a prática de esportes, o ato de despir-se e pentear-se, etc. À medida que a afecção (doença) evolui, podem ocorrer transtornos funcionais graves que afetam o membro superior.

Dormir sempre sobre o mesmo ombro pode agravar tal quadro e predispor à periartrite dessa articulação, pois a compressão do corpo sobre o ombro durante várias horas contribui para dificultar a circulação do sangue, da bioenergia e a nutrição dos tecidos.

Muitas vezes, as alterações teciduais que acometem as estruturas moles ao redor da articulação do ombro são também de natureza degenerativa e não apenas inflamatória.

À medida que se torna crônico, o processo inflamatório contribui para o desenvolvimento de aderências e calcificações que afetam os tecidos moles: inserções tendinosas, *bursas **sinoviais, etc.

Em geral, o tendão do músculo supra-espinhoso (responsável pela elevação do braço), a bursa subacromial e o tendão do músculo bíceps braquial (responsável pela flexão do antebraço) são as estruturas mais afetadas na periartrite do ombro.

É mais freqüente na mulher do que no homem, e a ocorrência dá-se a partir dos 35 anos de idade. Na China, o distúrbio é conhecido como “ombro invadido pelo vento frio” ou “ombro cinqüentão”, por manifestar-se próximo aos 50 anos de idade.

Dentre outras afecções que fazem parte da periartrite do ombro, encontram-se: a tendinite do músculo supra-espinhoso, a tenossinovite bicipital (inflamação do tendão do músculo bíceps e de sua bainha sinovial), a bursite subacromial (inflamação aguda ou crônica da bolsa serosa localizada sob o acrômio, extremidade da espinha da omoplata), etc.

Nos quadros mais graves, podem ocorrer rupturas parciais ou totais de tendões e ligamentos. É comum o desenvolvimento de aderências entre tendões, ligamentos, cápsulas sinoviais e ossos, o que muito limita a movimentação do braço e a amplitude do movimento articular.

Segundo a Medicina Tradicional Chinesa, a periartrite do ombro é causada por: estagnação da bioenergia (tchi) e do sangue (xue); má nutrição dos tecidos moles ao redor da articulação do ombro; invasão de fatores patogênicos exógenos (umidade, vento e vento-frio) que afeta tecidos, canais e colaterais de energia; dano tecidual provocado pelo cansaço e esforço físico repetitivo; traumatismos e luxações recidivantes do ombro; vida sedentária; e envelhecimento.

A dor no ombro (ombralgia) também se manifesta na miotenosite supra-espinhal (inflamação do músculo e de seu tendão), na bursite infra-acromial e na tenossinovite do tendão do músculo bíceps braquial.

Terapêutica

O tratamento indicado deve ser aplicado por um profissional experiente e com formação em “Acupuntura Tradicional Chinesa”. Somente deve-se fazer uso de remédios e medicamentos sob a orientação e a prescrição terapêuticas. Deve-se combater a automedicação.

Massagem Tui Na

O tratamento com massagem e exercícios para o ombro visam a ativar a circulação da bioenergia e do sangue, a lubrificar a articulação, à eliminação das aderências e dos fatores patogênicos exógenos, ao fortalecimento dos tecidos moles articulares e ao combate da obstrução dos canais e colaterais.

Acupuntura sistêmica e auricular

O tratamento é muito efetivo, visa a ativar a circulação da bioenergia e do sangue, ao combate da obstrução dos canais e dos colaterais, à dispersão do vento, à eliminação do frio e à drenagem da umidade.

Moxabustão (Jiu Fa):

Em caso de invasão de frio patogênico, aplicar moxaterapia à agulha (5 cones de tamanho grande).

Fitoterapia

Remédios botânicos: Uncaria tomentosa (Unha-de-gato), apresenta propriedades antiinflamatórias, antialérgicas, cicatrizantes em doenças gastroduodenais, antitumorais, antibacterianas e antivirais; é indicada no combate de processos inflamatórios músculo-articulares, como tendinite, osteoartrite, bursite, artrite reumatóide (reumatismo) etc.; Harpagophytum procumbens (Garra-do-diabo), apresenta ação analgésica e antiinflamatória, é utilizado no combate da artrite, da artrose, do reumatismo e da gota.

*bursa: bolsa ou cavidade em forma de bolsa que contém líquido viscoso.

** relativo à sinovia: humor transparente e viscoso que lubrifica as articulações e que é secretado pela membrana sinovial."

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Gordura trans - fique atento aos alimentos industrializados


"A gordura trans é um tipo específico de gordura formado a partir de um processo de hidrogenação natural ou industrial, que transforma óleos vegetais líquidos em uma gordura sólida com a finalidade de melhorar a consistência e validade de alguns produtos, estando presente principalmente nos alimentos industrializados. Os alimentos de origem animal como leite e derivados e carnes possuem naturalmente pequenas quantidades desse tipo de gordura.

O consumo excessivo da gordura trans se faz prejudicial para a saúde humana, com o efeito de aumento do colesterol total e também do ruim (LDL) e redução dos níveis do bom colesterol (HDL), e o consumo desse tipo de gordura não traz nenhum tipo de benefício a saúde humana.

A leitura dos rótulos dos alimentos permite verificar a presença da gordura trans nos mesmos, e a partir disso é possível fazer escolhas mais saudáveis, dando preferência aos isentos ou com pequenas quantidades dessa gordura.
A maior preocupação deve ser com os alimentos industrializados como sorvetes, batatas-fritas, salgadinhos de pacote, produtos de pastelaria, bolos, biscoitos, margarina e produtos preparados com margarina.

Não existe um requerimento para ingestão das gorduras do tipo trans, um valor que deva ser consumido diariamente, recomenda-se que a ingestão seja a mínima possível, mas já está elucidado que não se deve consumir mais do que 2g por dia. Para saber se um alimento é rico em gordura trans basta olhar a quantidade por porção.
Uma dica é verificar a lista de ingredientes do alimento, pois através dela é possível identificar a adição de gorduras hidrogenadas durante o processo de fabricação."

O Pai Nosso e as Glândulas Endócrinas


De acordo com Edgard Cayce as glândulas endócrinas são o ponto de contato entre os nossos três corpos; lugar onde se encarnam o espírito e a alma, e pelo qual se atua no corpo físico. Portanto, a cura se inicia no sistema glandular. O sistema glandular é a fonte de todas as atividades humanas, de acordo com Edgard Cayce, de todas as disposições, de todos os temperamentos e da diversidade das naturezas e das raças. O medo, a cólera, a alegria, qualquer das energias emocionais, estão relacionadas com as glândulas endócrinas, pois as mesmas produzem secreções hormonais, que se expandem dentro do organismo. Os olhos, o nariz, o cérebro, a traquéia, brônquios, os pulmões, o fígado, o baço, o pâncreas não podem funcionar de forma isolada, mas podem renovar-se dentro do conjunto das funções glandulares.

Talvez seja neste fato que o sistema endócrino seja influenciado pelas atividades da alma, e é por este caminho onde está o don do Criador.
As glândulas estão relacionadas com a renovação das células, com a degeneração e com o rejuvenescimento, não só da energia física, mas também da energia do corpo mental e do corpo espiritual.
É através destas mini-centrais de energia que nosso corpo físico recebe a cura ou a enfermidade. Nossas atitudes mentais não são alheias às nossas atitudes físicas, como nosso falar, ao nosso tom de voz, a nossa forma de olhar, pois todas as glândulas endócrinas estão atuando sobre nosso sistema sensorial.

Quando Edgard Cayce fala sobre como estas glândulas orquestram todas as atividades do corpo físico, sua forma, suas manifestações, suas percepções, ele também comenta sobre os centros glandulares maiores, ou seja, aquelas que secretam hormônios, como a pineal, pituitária, o timo, a tireóide, as supra-renais, e as gônadas masculinas e femininas. Existem outras glândulas no organismo, mas correspondem ao que a tradição hindu chama de chakras, que são as chaves da personalidade humanas. Cada uma das glândulas corresponde a uma função precisa, a uma vibração colorida, a um elemento da Terra, a um signo astrológico e a uma influência de um planeta.

A pituitária é a glândula mais alta do corpo, e está relacionada com a luz e se desenvolve no silêncio. A glândula Pineal é o ponto inicial para a construção do embrião no ventre da mãe. A Tireóide entra em ação quando se deve tomar uma decisão e atuar. O Timo corresponde ao coração. As Supra-renais são nosso centro emocional e atuam sobre o Plexo Solar. As gônadas são os motores do corpo físico.

O Sr. Edgard Cayce também explica que todas as glândulas estão implicadas no processo, por exemplo, da cólera: uma pessoa que está amamentando, tomada por algum estado de cólera, afetará suas glândulas mamárias, e o bebê se encontrará perturbado em suas glândulas digestivas. A reação principal se produz nas glândulas supra-renais. Edgard Cayce estima que as enfermidades chegam ao corpo físico através dos venenos segregados nos centros glandulares pelas atitudes negativas, e no sentido contrário, se poderia encontrar a curar, trabalhando-se de uma forma positiva, através da meditação, por exemplo da Oração Pai Nosso, que corresponde aos centros glandulares, e que a oração de forma meditativa pode ter um efeito dinamizante sobre as glândulas; é uma busca para compreender como atua a Força Criadora de Deus sobre o corpo.

A PITUITÁRIA corresponde à palavra Céu;
A Pineal corresponde à palavra Nome;
A Tireóide corresponde à palavra Vontade;
O Timo corresponde à Mal;
O Plexo Solar corresponde à palavra Ofensas;
A Região do Sacro, com as células de Leyden, com a palavra Tentação;
As Gônadas com a palavra Pão.

CORRESPONDÊNCIA ENTRE OS VERSOS DO PAI NOSSO E AS PRINCIPAIS GLÂNDULAS ENDÓCRINAS, DADAS POR EDGARD CAYCE.

Pai Nosso que estás no Céu – abre a pituitária (glândula mestra do corpo).
Santificado seja Teu Nome – abre a glândula Pineal;
Venha a nós o Teu Reino – abre a Tireóide;
Faça a tua Vontade assim na Terra – abre o Timo;
Como no Céu – abre a Tireóide;
O pão nosso de cada dia, daí-nos hoje – abre as gônadas (glândulas sexuais masculinas e femininas).
E perdoa-nos nossas ofensas, assim como nós perdoamos aqueles que nos tenham ofendido – abre as supra-renais.
E não nos deixe cair em tentação – abre as células Leyden (ou glândulas de Leydig, que não são verdadeiramente glândulas, mas sim um conjunto de células secretoras de hormônios, localizadas abaixo do umbigo e por cima das gônadas).
Mas livra-nos do Mal – abre o Timo.
Pois é Teu o Reino – abre a Tireóide;
O Poder – abre a glândula Pineal;
E a Glória – abre a Pituitária.
Fonte: Site Somos Todos Um 

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Sinto muito, mas você está só neste mundo


Esse texto tem tudo a ver com o que penso! Boa leitura!

Eu sei bem, essa afirmação é um tanto quanto forte. Na verdade, a grande maioria das pessoas nunca tenha atinado para essa realidade. Vivemos despreocupadamente e nunca procuramos pensar em nossa existência por uma ótica diferente, daquilo que está em nosso inconsciente coletivo.

Outro dia, observando uma formiga em cima da minha mesa, na sala de jantar, pude ver que quando aquele inofensivo inseto chegava à borda da mesa, rapidamente retornava e permanecia em círculos em volta da mesa, sem arriscar-se a outro caminho.
Tal fato pode ser indiferente para os céticos que acham que o mundo gira em torno do seu umbigo, mas se observarmos pelo prisma da formiga, além da mesa, existe um mundo desconhecido a ser desbravado, mas falta coragem a ela para tal, então, a mesa é um mundo seguro e conhecido.

Assim somos nós, arriscar, desbravar, conhecer o desconhecido é para os chamados radicais, aqueles que enfrentam desafios e rompem barreiras do insólito e do desconhecido. Preferimos a nossa zona de conforto e o nosso confortável sofá da sala. Recusamo-nos a tentar ser feliz e a conhecer a vida intensamente com todas as possibilidades que ela nos oferece.

Se possuíssemos uma consciência maior do que seja o universo, saberíamos que existem muito mais vida em dimensões que desconhecemos e que obviamente existem seres anos luz mais desenvolvidos que nós meros terrestres, afoitos e mesquinhos preocupados com a pequenez própria de seres subdesenvolvidos que somos.

Ocorre que, quando viemos fazer parte desse todo, na grande nave Terra, aqui chegamos sozinhos, apesar de às vezes em uma família com todo o carinho e amor a nós dedicado. Quando formos chamados de volta para outra dimensão ou morada, também iremos sozinhos, queiramos ou não, chegaremos e partiremos sozinhos e disso não tenham a menor dúvida.

Nossa passagem por aqui é de aprendizado e assim será até o dia que partirmos na posição de aprendizes. Portanto, meus queridos, baixem a bola, aqui vocês são só aprendizes e nada mais que isso.
Desistam de achar que são melhores, que são superiores, pelo fato de terem recursos financeiros, uma escola de primeira linha, ou uma educação inglesa.
As pessoas que vocês agregam em suas vidas, também aqui estão para aprender. Seus amores, amigos, colegas, interlocutores do seu dia-a-dia, no trabalho, na faculdade, na igreja, no futebol, na família são aprendizes que tanto podem aprender consigo, na convivência ou terão que aprender no círculo que criam durante a sua existência por aqui, por isso família é o grande centro de discussões e adversidades.

Somos indivíduos e fazemos parte de um todo, mas estamos aqui sozinhos, na descoberta através de carmas e experiências vividas em outras oportunidades passadas que chamamos vidas passadas. Para isso aqui estamos, para isso aqui vivemos. E tenham a certeza que todos esses valores que tanto damos importância nessa existência nada contarão no momento da partida.

Mais uma vez estaremos sozinhos. Mais uma vez estaremos sem nosso relógio de ouro, nosso carro luxuoso do ano, nossos ternos italianos, nossas gravatas de seda e nossos suntuosos apartamentos.

Estaremos novamente a sós e iremos ser recebidos na grande fila, a sós, e seremos colocados em frente ao olho que tudo vê e de nada adiantará o acúmulo material. O que irá valer e pesar para a nota final será o que você, como indivíduo e aprendiz, contribuiu para o todo desse imenso universo.

Pense nisso...

Fonte: Site Somos Todos Um